NR 10 – SEP

SEP – NR 10

Interessado no SEP – NR 10 para se destacar no mercado de trabalho? Seja você ou não um entusiasta em eletricidade, ter conhecimento neste sistema de energia é fundamental para garantir o bom funcionamento elétrico das cidades, além de trazer boas oportunidades na área.

Confira o que significa, como funciona e dicas para te ajudar na hora de escolher e realizar algum curso de SEP – NR 10!

O que é SEP?

A sigla SEP é a abreviação de Sistemas Elétricos de Potência, que são compostos por algumas centrais elétricas, subestações de transformação e de interligação, além das linhas e receptores, ligados eletricamente entre eles.

O SEP – NR 10 tem um propósito bastante importante, por ser o maior sistema de energia. Ele possui a função de englobar tarefas como geração, transmissão e distribuição de energia elétrica para as mais variadas regiões de todo o país e, assim, facilitar o acesso e o controle dela.

Exemplos de SEP

Muitos SEP já são usados por determinadas regiões para fazer o controle e a distribuição de energia elétrica à população. Também é utilizado para fazer o funcionamento de locais comerciais e residências. Alguns exemplos bem conhecidos são:

  • Usinas hidrelétricas;
  • Energia eólica;
  • Alto uso de energia solar;
  • Torres de transmissão elétrica;
  • Subestações, entre outros.

Eles são importantes para o abastecimento de energia elétrica até mesmo para todo um estado, além da maior parte do país

A diferença entre SEP e o SEC

A diferença entre a função de ambos é bastante simples, o SEP (Sistemas Elétricos de Potência) são os equipamentos e sistemas que participam da geração de energia. Já o SEC (Sistema Elétrico de Consumo) consiste nos consumidores desta energia produzida pelo SEP.

O SEP é responsável pela geração e pelo fornecimento de energia, que abrangem asseguintes etapas:

  • Geração;
  • Transmissão;
  • Medição;
  • Distribuição.

Isso de toda a energia elétrica que vem deles, de acordo com o NR 10 (Norma Regulamentadora nº 10). Alguns exemplos de SEC são:

  • Residências em geral;
  • Indústrias;
  • Comércios;
  • Serviços públicos (como hospitais e outros órgãos) e vários outros usuários que só funcionam graças ao trabalho realizado pelo SEP.

As instituições que são responsáveis pelo controle, operação, fiscalização e pesquisas do SEP e do SEC são a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) – empresas especializadas no ramo e que são governamentais.

O SEC possui instituições mais localizadas para ajudar na distribuição e controle de consumo das regiões de todo o Estado.

Qual a diferença entre baixa e alta tensão?

Algo que deve ser bastante conhecido por profissionais da área de eletricidade é a diferença entre a baixa e a alta tensão.

Afinal de contas, ela é quem cuida e proporciona o funcionamento de certas coisas, para que não prejudique aparelhos eletrônicos na hora de realizar o manuseio desse tipo de energia elétrica durante o trabalho.

É necessário bastante cuidado na hora de mexer com a baixa e a alta tensão, por serem de extremo perigo para a vida humana. Elas também são responsáveis por muitos acidentes, tanto em trabalhos quanto nas residências. Veja, a seguir, alguns pontos em que essas duas tensões diferem.

A baixa tensão de energia elétrica

De acordo com a norma da ABNT NBR 5410, uma tensão nominal que seja superior a 50 V (Corrente Alternada – CA) ou 120 V (Corrente contínua – CC) e igual ou inferior a 1000 V (CA) e 1200 V (CC) é definida como baixa.

Seu uso normalmente se faz em situações em que a demanda do consumidor final de energia é pequena, como em domicílios.

Quando é preciso de uma distribuição rápida, com menos perdas e uma maior demanda de energia, opta-se pela alta tensão, como o percurso das hidroelétricas para as subestações de distribuição nas indústrias.

Essa definição varia de cada país. Nos Estados Unidos, a baixa tensão é menor que 600 V, de acordo com o artigo 490.2 do National Electrical Code americano. Já no Reino Unido, a Norma Britânica define a baixa tensão como 50–1000 V CA ou 120–1500 V CC.

A alta tensão de energia elétrica

A alta tensão é utilizada para que haja a distribuição de energia de forma segura e com menos perdas para todas estações e subestações.

Lá, elas são ajustadas para que os consumidores com alta demanda recebam a energia com alta tensão e os que têm baixa demanda, com baixa tensão.

De acordo com a Comissão Eletrotécnica Internacional, com a ajuda dos vários órgãos associados ao ramo de energia elétrica (a Instituição de Engenharia e TecnologiaInstituto de Engenheiros Elétricos e a ABNT, entre outros), chegou-se à conclusão de que circuitos de alta tensão são os que possuem mais de 1000 V em uma corrente que seja alternada e ao menos com uma carga de 1500 V em corrente contínua.

Como funciona a NR 10?

A Norma Regulamentadora (NR) 10 tem a função de estabelecer os requisitos necessários e as condições mínimas de segurança dos ambientes de trabalho para profissionais da área de energia elétrica, para instalação, entre outras atividades.

Mexer com energia elétrica é sempre um risco, não importa o quão profissional a pessoa seja. Ela sempre coloca a vida em risco ao executar um trabalho em que faz a utilização ou manutenção da corrente elétrica.

Então, o dever da NR 10 é garantir que todos estejam protegidos com as leis e condições necessárias para a segurança com o sistema elétrico.

Como e quando surgiu a norma NR 10 no Brasil?

Na década de 60, cresceu a discussão sobre a segurança de todos os profissionais que faziam trabalho de instalações elétricas e prestação de serviços relacionados.

O Ministério do Trabalho e Emprego, publicou a Norma Regulamentadora 10 em 1978 para o benefício destes trabalhadores que colocavam em risco a sua própria vida.

Entretanto, a norma ainda necessitava de atualizações imediatas, já que o número de acidentes continuava alarmante. Com isso, a NR 10 recebeu diversas atualizações, sendo a última atualização em 2004.

O que aborda um curso de SEP – NR 10?

Em um curso de SEP – NR 10 são abordados assuntos que atendem às exigências profissionalizantes da legislação, que visa a evitar acidentes de trabalhos para os eletricistas durante o serviço. O curso tem validade de 2 anos, assim que expirado, o profissional deverá fazer um atualização para manter sua licença.

Para entender melhor o assunto abordado em um curso de SEP – NR 10, é necessário saber quais são algumas das classificações de profissionais do ramo de energia elétrica, ditadas pelas regulamentações presentes na NR 10!

Os profissionais que são qualificados

De acordo com a NR 10, mais especificamente no item 10.8.1, os qualificados são capazes de comprovar a conclusão de um curso específico no ramo de energia elétrica, que seja comprovada eficiência pela avaliação do Sistema Oficial de Ensino ou reconhecidos pelo MEC (Ministério da Educação).

Os profissionais habilitados

Pelo item 10.8.2 da NR 10, é estabelecido que trabalhadores legalmente habilitados são previamente qualificados, comprovando um registro de competência dito pelo conselho de classe.

Um profissional formado em engenharia industrial elétrica, por exemplo, deve possuir um registro de formação com o CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) para habilitação e garantir que é realmente adequado ao serviço para que a segurança seja mantida.

Quanto custa um curso de SEP – NR 10?

O valor de um curso profissionalizante de SEP – NR 10 varia de instituição, modalidade e carga horária, partindo de R$199  a R$300 (online), podendo chegar até R$1.000 (presencial).

Cuidados com instalações elétricas

É preciso ter alguns cuidados na hora de mexer em uma instalação elétrica. Há um risco maior para aqueles que possuem crianças em casa. Confira:

  1. Mantenha as tomadas protegidas e preste atenção em fios desencapados, que podem ser tocados por alguém sem proteção.
  2. Sempre tenha certeza de desligar o disjuntor correto na hora de realizar uma manutenção na rede elétrica.
  3. Tenha cuidado com chuveiros elétricos, evite que equipamentos de energia fiquem próximos da água. Nunca apague um fogo provocado por um curto com água.

Qual é o salário e o mercado de trabalho para eletricistas?

Um eletricista ganha entre R$1.508 e R$4.800,77 a depender do cargo na empresa e do estado. Possui uma média salarial nacional de R$1.995,20, dependendo bastante do profissional, então quanto mais especializado maior será o salário.

Além de que o mercado para eletricista está sempre em alta, pois a demanda é muito grande por profissionais que auxiliem ou se mantenham em uma empresa para resolver diversos problemas

Seja o primeiro a adicionar uma revisão.

Por favor, iniciar sessão para deixar uma avaliação
Adicionar aos favoritos
Inscritos: 0 aluno
Nível: Iniciante

Arquivo

Arquivos